República de Curitiba e a Criminocracia Brasileira

Os promotores responsáveis pela denuncia ofertada ao Juiz Sergio Moro em Curitiba-PR estão sendo duramente criticados pela imprensa brasileira. Importa ressaltar que nossa “imprensa”, em sua esmagadora maioria, é composta por jornalistas claramente contaminados pelo viés comunista, o mesmo viés que deu forma e conteúdo tanto aos governos de FHC (PSDB) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT), quanto para instituições outras tais como CNBB, MST, MTST, FARC´s, PCC, COMANDO VERMELHO (C.V.), FORO DE SÃO PAULO e por ai segue.

Eu, porém, não faço o menor reparo na conduta perpetrada pelos promotores que integram a REPÚBLICA DE CURITIBA – PR. Eis que, no meu entender, ela foi MENOS QUE PROPORCIONAL ao PERIGO que os DENUNCIADOS (Lula, sua familia e seus “amigos”) representam para o Brasil e toda a sociedade brasileira. Inclusive para aqueles que, inadvertidamente, se abstém de discussões políticas que a todos interessa.

Venho denunciando este fato desde os idos de 2013 quando escrevi CRIMINOCRACIA: O Poder do Crime no Brasil! Um livro sem grandes pretensões literárias, mas que teve alguma repercussão no Brasil e também internacional, já que figurava como um NEOLOGISMO derivado do adjetivo CRIMINOSO (tráfico ilícito de entorpecentes, roubo a bancos, extorsão mediante sequestro, corrupção ativa e passiva, homicídios triplamente qualificados, formação de quadrilha ou bando e por ai vai), acrescido do elemento de composição CRACIA (Poder).

Neste livro, atualmente em atualização, demonstrei que, no Brasil, o CRIME tem poderes não apenas para DESCONSTRUIR o país, mas, inclusive, para DESCONSTRUIR a imagem e a FÉ que temos no próprio DEUS enquanto CRIADOR DE TODAS AS COISAS. Nele também demonstro que, não existe possibilidade de CRIME ORGANIZADO, SEM A PARTICIPAÇÃO DO ESTADO (Poder Legislativo; Poder Executivo e Poder Judiciário).

E fui além, ao CONCLUIR que a sociedade brasileira PADECE DE REFERENCIA MORAL, fazendo com que nossa LIBERDADE (de ir e vir, de expressão, dentre outras) viva, e sobreviva, em ESTADO TERMINAL, já que, a qualquer momento, pode sofrer uma RECAÍDA cuja CONSEQUÊNCIA IMEDIATA será o FECHAMENTO DO REGIME e ingressarmos em uma FERRENHA e SANGRENTA DITADURA COMUNISTA, várias vezes superiores à REVOLUÇÃO RUSSA DE 1917.

Eis que, SEM REFERÊNCIA MORAL, a VIDA NÃO SE SUSTENTA, uma vez que é ela o sistema de freios e contrapesos inclusive na contenção de impulsos suicidas (individuais ou coletivos).

A MORAL é o pressuposto básico para o estabelecimento de toda e qualquer CONFIANÇA, fundamento do ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO. Sem CONFIANÇA, não existe LIBERDADE, não existe IGUALDADE EM DIREITOS E DEVERES, NÃO EXISTE FRATERNIDADE e, menos ainda, SOLIDARIEDADE. LIBERDADE, sem SEGURANÇA, é o CAOS e, SEGURANÇA, sem LIBERDADE, representa nossa ESCRAVIDÃO, tanto para aqueles CRIMINOSOS organizados em partidos e/ou legendas eleitorais, quanto para aquela BANDIDAGEM SANGUINÁRIA, organizadas em GRIFES CRIMINAIS (MST, PCC, C.V., FARC´s, FORO DE SÃO PAULO, PT etc.) espalhadas país afora.

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: