De quem é a culpa?

A violência contra a mulher é, sempre foi, e sempre será presente na sociedade, primeiro, por questões de instinto, onde o sexo masculino tem a obrigação e necessidade de ser o mais forte, protetor e líder de seu conjunto familiar. Outro fator, é o cultural, que relega ao homem as tarefas que exigem maior resistência, esforço físico, ou até mesmo problemas corriqueiros que qualquer mulher poderia fazer, como apertar um parafuso, trocar chuveiro, consertar uma goteira, acabam passando a responsabilidade ao homem, por ser o papel dele, mesmo ele não faça ideia de como fazer.
Mas não é isso que traz violência doméstica, ela é fruto de uma má formação no caráter do agressor. Muito têm-se investido em conscientização com relação ao tema, mas os resultados são pífios, por que? Um indivíduo que, desde que nasceu, não aprendeu princípios de hierarquia, respeito, limites, bom senso, tolerância e uma infinidade de adjetivos, não está preparado a colocá-los em prática na sua vida adulta. Vivemos em uma sociedade onde a formação das crianças sofre com a falta de critérios e a omissão dos pais no ensinamento de preceitos básicos que deveriam fazer parte da educação infantil. O resultado disso, são adultos que não têm boas referências, os levando a agir de acordo com seu instinto e heranças culturais, culminando, fatalmente em violência contra os mais fracos dentro do seu convívio. E a falta de um bom ensinamento, não se revela apenas na violência doméstica, mas se reflete em maus alunos na escola, motoristas que não respeitam as leis, funcionários com problemas de relacionamento, não esquecendo que boa parte da população carcerária, é formada por pessoas que seguiram seus próprios instintos, levando a tomar atitudes que, se tivessem uma boa formação, teriam escolhas diferentes daquelas que tomaram.
É muito comum, ver pais acreditando que enviar seus filhos à escola, igreja, está fazendo sua parte de educador, como se essas instituições suprissem a falta de ensinamento em casa. De fato, frequentar igreja e escola, faz bem, mas não é a principal forma de educação, elas apenas informa o cidadão, mas quem forma, é a família.
Não é o machismo a principal causa da violência contra a mulher, é a má formação no caráter do indivíduo, e isso vai refletir em várias de suas ações, e uma delas, é na violência contra a mulher

Comentários no Facebook

%d blogueiros gostam disto: